Por que Orgânico Importa?

Texto: Carol Lacerda para Organomix e Clube Orgânico

Por que orgânico importa?

Nosso movimento é claro: queremos mostrar que consumir alimentos orgânicos é benéfico para a sua saúde e para o meio ambiente. E os benefícios vão além disso. A agricultura orgânica também valoriza os pequenos produtores rurais da sua região, fomentando a economia local, além de ser uma opção de consumo mais sustentável.

Saúde para você

Em uma produção livre de agrotóxicos, nenhum pesticida sintético é usado. Isso, por si só, já faz com que os alimentos orgânicos sejam mais saudáveis. Diversos estudos têm demonstrado que os agrotóxicos são prejudiciais à nossa saúde e os resíduos dessas substâncias que permanecem nos alimentos podem provocar reações alérgicas, respiratórias, problemas neurológicos, distúrbios hormonais e até mesmo câncer.

Os agrotóxicos, com frequência, também são responsáveis por alterar o sabor e o aroma dos alimentos frescos, por isso, orgânicos tendem a ser mais saborosos. Já experimentou uma banana orgânica? Sinta a diferença!

E não é só o sabor que é alterado com o uso de pesticidas químicos. Frutas e vegetais cultivados que não respeitam a sazonalidade, isto é, que são cultivados fora do período que crescem naturalmente (o que só é possível com agrotóxicos) são bem menos nutritivos.

Pense nisso: durante cada estação, nosso corpo tem necessidades calóricas e nutricionais diferentes, especialmente devido às mudanças de temperatura. Por isso, os alimentos típicos de cada época do ano em geral são os melhores para suprir o que nosso organismo precisa naquele momento. Já parou para pensar, por exemplo, por que a tangerina é comum no inverno e a melancia no verão? Isso acontece porque os cítricos, como a tangerina, são ricos em vitamina C, que ajuda a prevenir gripes e resfriados; já a melancia é cheia de água na sua composição, perfeita para nos hidratar nos meses mais quentes do ano.

Saúde para o meio ambiente

Não é só o nosso corpo que se beneficia de uma produção orgânica. O solo também sente os benefícios dessa cultura natural, que respeita os ciclos da natureza, uma vez que a produção orgânica visa à conservação da fertilidade da terra, pois pratica a rotação de culturas e adubação verde, mantendo o solo rico e cultivável ano após ano. A conservação do solo e a ausência de agrotóxicos também auxiliam na manutenção da fauna regional, uma vez que atua na preservação de pássaros, insetos e outros animais.

A preservação do solo está intimamente relacionada à saúde da água: os agrotóxicos e fertilizantes químicos utilizados na agricultura convencional são levados pela água da chuva, poluindo rios e lagos e podendo, até mesmo, alcançar lençóis freáticos. Segundo dados do IBGE, os agrotóxicos são a segunda maior causa de poluição de rios no Brasil, e isso tem efeito direto nos seres vivos que vivem na água. Alguns peixes armazenam os agrotóxicos em seu tecido adiposo e, por isso, não sofrem danos diretamente. Porém, ao consumir esses peixes contaminados com veneno, podemos sofrer intoxicações.

Sempre bom lembrar dos números preocupáveis dos agrotóxicos no Brasil. Fonte: Observatório Social

Além dos benefícios para o solo e a água, a produção orgânica também engloba um assunto muito discutido (e triste) na nossa sociedade atual: a condição dos animais criados para o consumo. Isso porque a produção orgânica de produtos de origem animal também significa uma criação mais humanizada, que visa o bem-estar dos bichos. Seja na produção de aves e gado de corte ou na produção de ovos e leite, na criação orgânica de animais eles são alimentados somente com produtos orgânicos e mantidos em locais mais espaçosos e menos estressantes, sem uso de antibióticos sintéticos e hormônios artificiais.

Leia na Globo Rural: Testes de urina comprovam níveis alarmantes de pesticidas nos alimentos.

Todos ganham

O consumo de orgânicos também valoriza um elo essencial na cadeia de produção: o pequeno produtor rural.

A agricultura orgânica ajudar a melhorar as condições socioeconômicas e o bem-estar das comunidades rurais, uma vez que necessita de mais mão de obra, gerando emprego e renda aos que vivem nas zonas rurais. Além disso, geralmente, a produção orgânica é fruto de pequenos núcleos familiares que tem na terra a sua única forma de sustento. Quando o solo é mantido fértil por muitos anos, o cultivo orgânico garante o sustento de diversas famílias por muitos anos.

A produção orgânica, ao valorizar a agricultura familiar e os pequenos produtores, também valoriza as pequenas feiras de produtos naturais e beneficia outros varejistas que não as grandes redes que dominam o mercado nacional. Com isso, consequentemente, vemos maior distribuição de renda e o fomento da economia local.

Reconheça seu orgânico

Selo de certificação emitido pelo Ministério da Agricultura.

O produto orgânico deve ser certificado e sua qualidade é assegurada por um selo de certificação, que é fornecido pelas associações de agricultura orgânica ou por órgãos certificadores independentes, que verificam e fiscalizam a produção de alimentos orgânicos desde a sua produção até a comercialização. Essa é a garantia de que o consumidor está adquirindo produtos mais saudáveis e isentos de qualquer resíduo tóxico.

 

Selo concedido por auditorias, também válidos para o mercado.

Vem com a gente nesse movimento? #organicoimporta

Be Sociable, Share!
Organomix

Leia também

Relatório 1: “O problema”

Relatório 1: “O problema”